Todo mundo sente dor

por Dulcineia Vitor

O tempo vai passando devagar só pra machucar mais. Ferida aberta.

Foi arrancado o que de mais belo havia, arrancado sem aviso, arrancado sem consentimento. Ficou um buraco enorme. Sonhos que são descartados, sonhos que foram desvalorizados… Alegria vai embora, não se tem mais vontade de comer… Cadê as cores que se via? Tudo perde o brilho, você está sozinho.

Dá medo, é ruim. De repente, um vazio no coração, não se sabe mais o significado de nada.

A dor passa, toda dor passa. Todo mundo sente dor.

É dolorido demais sonhar sozinho, é dolorido viver sozinho. Somos sozinhos. Com o tempo, a vida vai ensinando uns truques para as dores passarem, mas tem dor que nem colo e cafuné faz passar.

Crescimento. Você nunca sai o mesmo das experiências. Por ora é dor, nem sempre será.

E que volte a ficar bem, que se ame, confie e entregue, porque agora dói, agora se deseja o fim. O fim da dor, das lembranças, da covardia.

Onde estão os sonhos? Foram embora.

Alguém pode ser cruel com você, menos você. Respira fundo, sente o ar, procura beleza, se fortalece.

O mundo vai despedaçar seu coração. Aprenda, sobreviva.

Image

Anúncios

Recomeço

por Dulcineia Vitor

Quando apercebe-se do recomeço, dói. Como acostumar-se? É recomeço, é novo, não há costume no novo, só há novidade. Nem sempre é ruim, mas tem vezes que é.

Daí, tem os velhos hábitos que nem valem mais, não cabem, ficam frouxos ou vazam. E é importante que tudo esteja na medida, pelo menos agora, de outra forma doeria mais, cortaria a carne, além de arrancar a pele. Para onde ir? O que fazer? E por quê?

Passeiam lembranças que perderam o sentido de permanecerem tão perfeitas, tão intactas, tão vivas, já que se tem que recomeçar. Absolutamente nada faz mais sentido tanto quanto gostar de qualquer coisa, sentir prazer, considerar bom, querer mais um pouco, ter algo ali normal, algo que esteja, até, estagnado, sem surpresas.

O silêncio invade tudo. No meio da madrugada uma gargalhada sozinha sem outra para confirmar que aquilo fora mesmo engraçado, é estranho. Falta alguém que gaste sua voz de sono pela manhã e não se atenda o telefone ainda com ela. Não é ruim por isso, é ruim por ser recomeço.

E é o tempo que vai passando… Metade de tudo é confuso, outra metade é loucura. As surpresas se mostram o tempo todo, as músicas dizem muito, mas muito mais do que antes diziam, e, olha que sempre disseram muito. O pó do café no coador é em menor quantidade, a água fervida também deve ser. O perfume só vai ser elogiado tempos depois, a maquiagem feita não é mais apressada.

É tudo parte de um novo começo. É tudo parte do recomeço.

Desejou-se reinventar em 5 minutos como em uma cena de Bridget Jones, 5 minutos lá bastam. Sobe a música e tudo já está diferente. Mas não é assim.

Se vê com novos hábitos: observar paredes brancas, ver TV andando pela casa, escutar música sem se movimentar… Se reconhece, porque se perde no que é. Passa a ter coragem, saber o que quer. Lembra de se cuidar, se vê gostando, se vê odiando.

E que se conviva com a dor, que nem sempre é dor. É, algumas vezes, só recomeço.