Garota, eu vou pra Califórnia!

por Dulcineia Vitor

 

Hoje eu decidi ‘mudar de vida’, penso em lavar a cabeleira, sair ao vento e ouvir uma música libertadora… Tomar chuva, ver o mar…

O importante é a liberdade!

Libertar-se daquilo que lhe faz mal, esquecer aquilo que lhe foi inventado que seria bom, mas que de nada adianta, porque atrasa, machuca, encuca. A vida é muito mais do que pensamentos e ações, ela é cheia de surpresas, sejam boas ou más, e você tem que estar forte, preparada.

Daí você bate no peito e diz: “manda mais uma, irmã”, porque é assim mesmo. Não é porque você está mais fraca que a vida vai lhe poupar. A vida vai mandando os problemas, as situações, uma atrás da outra. Porém, mostra as soluções também, manda novos amigos, lembra você dos velhos, lhe enche de risos, de abraços e beijos bons demais.

Aprendi que não devemos provar nada à ninguém, você é o que é, acreditem ou não. Aprendi que devemos confiar nos olhos de uma pessoa, eles dizem mais que as palavras conseguem explicar. Aprendi que a culpa nada mais é que não saber o que quer, que não assumir o controle de suas vontades. Aprendi que um grande amor deve ser preservado, seja lá de que forma for, ele deve sempre ser cuidado. Aprendi que é muito mais gostoso dizer não e por isso tomar um tapa da vida, do que dizer muito sim e por isso nunca agradar a si mesma.

É essencial ter foco – isso eu sempre digo, vivo a repetir que planejar-se é o ideal. Mas nem sempre dá, não é? A vida vem, lhe atropela e PUF cadê sua vida dos sonhos? Para tanto, é necessário tirar uma força lá de dentro, do fundo da alma, do lado esquerdo do peito e erguer o castelo que sempre quis. Com foco fica mais fácil, porque você se distrai menos.

Uma vez que a vida não vem com manual de instruções e é curta demais, aproveite! Siga o coração e ‘mude de vida’ a cada segundo que lhe convier, porque ter uma ‘vida nova’ dentro da ‘vida velha’ é a melhor coisa que existe.

Ah, como vou pra Califórnia? Devo ir de bike, assim o vento beija melhor meus cabelos.

Anúncios

Vê se entende, criatura!

por Dulcineia Vitor

Não, não existe uma única mulher que odeie receber flores (só as com traumas/alergias/ódiomortaldanatureza). O problema está com quem dá as flores e como dá. Flores não são presentes, nem é a coisa mais romântica do mundo!

É importante perceber a sutileza em dar flores, seja buquê, seja uma rosa apenas. Em datas especiais é importante acompanhar com um presente, no cotidiano é importante que seja uma flor diferente ou que esteja junto com chocolates ou um vinho. Esses detalhes deixam claro a intenção em ‘presentear’ com flores.

Para apenas flores, e que sejam diferentes, por favor: Passei em frente uma floricultura e não resisti! Para flores com chocolates: Óh querida lembrei de você! Para flores com vinho: Hoje teremos uma noite especial! 

Aposte em tulipas ou girassóis para o dia-a-dia: mulheres gostam de cuidar, pode ser no vaso ou apenas uma flor ou buquê, mas escolher uma flor diferente, lê-se: sem essas das habituais rosas vermelhas, demonstra cuidado.

Rosas vermelhas tem ocasião ideal.

E, por favor, não esqueçam do cartão! Escrever um eu te amo, lembrei de você, não atrofia o dedo de ninguém.

Agora, se é só um caso, como diria o “poeta” um lance é um lance, não dê flores, a mensagem pode ser entendida errada e ficar aquele clima de romance… E ninguém quer iludir ninguém. Não é?

E para ilustrar o texto, eu já tinha uma imagem na cabeça desde mais nova, porque esse homem sim sabe dar flores. E olha que ele nem faz meu tipo, talvez o da minha mãe!

Ela com eles

por Dulcineia Vitor

É, trabalhar em equipe pode ser divertido, enriquecedor, mas não é a tarefa mais fácil do mundo. Cooperar e aceitar cooperação é algo superior, que exige cumplicidade.

Toda equipe tem que ter aquela energia contagiante e fora do ambiente de trabalho afinidades. Não dá, e isso é quase regra, para trabalhar com pessoas que julgam ser o avesso de você, que discordam do seu modo de ser. Afinidade é essencial para trabalhos em equipe. Mas e quando essa é equipe é formada por uma maioria de homens e algumas (ou uma) mulheres?

Aí você vai me dizer: vários homens juntos falam de futebol, de mulher, de games, de balada… Como uma mulher pode ter afinidades num grupo assim?

Realmente, as mulheres não são as melhores no futebol e nos games. Mas tem pessoa melhor para falar de outras mulheres hihihi maldade, e de como se comportar na balada? Deparando-se com esta situação, respire fundo e vá garota! Porque os homens costumam ser generosos nessas equipes, e ajudam você a participar da vida deles, é só encarnar seu lado masculino e partir pro abraço.

Encarnar seu lado masculino; lê-se conversar de assuntos do mundo deles e, de modo algum, deixar de escovar os cabelos ou passar o rímel! Absurdo isso, gente!!

Lembrar que é mulher é necessário, você, definitivamente, não quer saber detalhes da última paquera, mas pode aconselhar a respeito de como se comportar ou até que roupa ele deve usar para seu próximo encontro.

Já ouvi muitas histórias a respeito desse tipo de formação de equipe, e também, já participei de grupos assim. Não tem nada demais, nenhum grande mistério a ser desvendado, é apenas uma relação que deve ser estabelecida com alguns limites mais claros de respeito e distância (afinal você é mulher), mas pode rolar uma amizade bem bacana nisso…

Dá para trocar muitas experiências, assimilar outros jeitos de raciocinar. Conheço mulheres que adoram trabalhar com homens, sentem muito mais confiança nesse ambiente. O importante é não temer as oportunidades e desafios que aparecem, você é mulher, tira a maioria das situações de letra.

Aproveite para aprender mais do mundo masculino!

Look de avião!

por Dulcineia Vitor

Sim sim, vamos nos preparar pra viajar. Afinal, janeiro tá aí, tempo de viagem, férias, visita aos parentes… Bora?!

Vamos começar com as oscilações de temperatura do aeroporto e avião, eles nunca estão em sintonia; e durante a viagem mesmo o avião pode perder e ganhar temperatura. Portanto, hidrate-se.

As roupas devem ter estilo, porque você deve chegar na cidade destino mostrando quem é. Não importa se é outro país ou estado vizinho, o que importa é causar boa impressão sempre. Descarte tecidos que amassem facilmente: 30 minutos sentada já é o bastante para maçarocar qualquer look.

O ideal é usar roupas em camadas, jaqueta-camiseta-regata, para que possa utilizar-se delas dependendo da temperatura. Use sempre calça, saias para nós mulheres é um horror para o, muitas vezes, gelo do avião, as pernas congelam e sentimos um frio de quase quebrar.

As calças devem ser de malha ou jeans, larguinho e sem strech. Os sapatos devem ser baixos e já laceados, nada de estrear o sapato que ganhou de uma tia distante no Natal… Vai que seu pé não se acostuma. Atente-se para sapatos que você possa calçar, descalçar e calçar de novo, porque em longas viagens é natural deixarmos os pés livres para mexer, mas por estarmos sentadas eles podem inchar, portanto, um sapato confortável nunca pode ser dispensado.

Cabelos sem penteados complicados, por favor! Use algo que dê para ajeitar assim que desencostar do banco: um reparador de pontas ou leave-in é sempre bom ter a mão.

E atenção, mexer as pernas, mesmo sentada, e esticar as panturilhas é lei para quem viaja de avião. Para viagens longas, é sempre bom usar meias elásticas, elas ajudam o sangue a circular e evitam qualquer desconforto da viagem aérea.

Pode ser meio clichê, mas seu estilo, diz muito sobre você! Arrase e uma ótima viagem!

Hoje é dia de amiga, bebê!

por Dulcineia Vitor

Em minhas andanças por aí, tenho reparado o grupinho das amigas. E pasmem, machões-machistas-chatos-egocêntricos, elas não estão lá para paquerar. Elas estão apenas curtindo seu momento com as pessoas que as entendem e as amam: as amigas.

Daí, que acho isso super legal! Ter um momento de estar com quem vai lhe fazer esquecer essa loucura que é viver; e essas aflições tão femininas, como conquistar o mundo e ainda ser frágil. Estar com quem lhe entende com o olhar, com quem lhe faz sorrir, chorar de rir e ainda fala de besteiras de mulher com a maior seriedade do MUNDO!

Nesses tempos de internet como principal meio de comunicação, a conversa olho no olho ficou pra depois… Para quando der um espacinho na agenda. Afinal, filhos, marido, namorado, trabalho, e todas as preocupações estão nos tomando tempo demais. Mas são as amigas que nos ajudam a ver com leveza todas essas experiências e quereres da vida.

Percebi que as solteiras fazem isso com um pouco mais de naturalidade, porque já tem o dia de ir paquerar, de querer dividir a mesa com um gato, mas tem o dia de encontrar as amigas pra contar tudo que rolou e a expectativa do que está por vir.

Já as comprometidas, que muitas vezes estão misturadas com as solteiras (não é sempre que as amigas estão TODAS namorando ao mesmo tempo); ficam um pouco perdidas com isso, mas quando se encontram estão dispostas a rir muito. O que acontece, é que muitas vezes o pensamento de sair sozinha com outras meninas, é de que se foi paquerar. Agora, convenhamos, as mulheres não estão o tempo todo a procura de paquera, namoro, ou, pior, trair o parceiro.

E pode acreditar que nem os homens estão o tempo todo a procura disso.

Basta apenas um pouco de esforço para entender que o importa é cultivar o que faz bem… Agenda apertada, ok, muitas aflições, ok… Eu entendo, meninas. Mas confie em mim, vocês vão encontrar um momento para não pensar em nada e estar com essas amigas que lhes fazem bem.

Por isso, não importa quanto tempo faz que você não olha no olho da sua querida amiga. Vá, encontre-a, divida com ela seu momento mulherzinha; e por mais ‘likes’ que você dê nas fotos do face dela, isso não supera a falta que vocês sentem de tocar no cabelo e falar: “nossa, amei, que lindo que ficou!!”.

E deixa eu ir lá… Vou dar uma ligada pra minhas amigas! Hehe ♥

Ainda bem que eu nasci mulher

por Dulcineia Vitor

Tem dias que invejo a habilidade de um homem em se virar, tem dias que detesto a necessidade incessante de comer um único chocolate, tem dias que tenho vontade de arrancar os cabelos, porque não ficaram lindos como eu queria. Tem dias…

Mas tem outros dias que eu esqueço tudo isso; e AMO estar perfumada, fazer charminho, comprar um chocolate por necessidade feminina, passar um rímel mais forte e ter certeza que sou a mais linda do mundo, usar salto, jogar o cabelo para o lado, usar unhas vermelhas e rir de bobagens com as amigas.

E por isso, seguem aquelas dicas femininas já tão conhecidas na web; são as minhas preferidas pra noite de sexta-feira. ‘Bora’ ficar linda, mulherada!!

Ai, acho que é tudo que uma linda mulher precisa, né?! Make, cabelo e unha, ui! He! O look fica por sua conta e a seu gosto!

Boa sorte e ótima sexta! 🙂

Virilidade em crise

por Dulcineia Vitor

O homem de hoje. Há discussões que afirmam que eles já não são mais tão viris, o que os tornaram incapazes de nos proteger. Mas e aí, onde está o problema?

Bem sabemos que nós mulheres há muito desejamos estar no lugar deles, ocupar bons cargos, cuidarmos da nossa vida e não dependermos dos cuidados e desmandos de homem nenhum! E assim fizemos.

Só que nesta conquista toda, as mulheres não deixaram seu romantismo, e continuaram a ser mães amantíssimas e ótimas donas de casa; mesmo que atrapalhadas por turbilhões de assuntos de trabalho, elas se ofendem se alguém disser: “ah, você não é boa mãe” ou “nossa, sua casa não está bonita”. A perfeição é a palavra de ordem para nós.

Mas aí, nós descobrimos como é duro o mercado de trabalho; e como é difícil sustentar uma casa, fazer escolhas, ser independentes. E trouxemos isso para a criação de nossos filhos.

Para as meninas ensinamos a fortaleza de ser mulher, mas sem deixar o encanto, o romantismo. Para os meninos adiamos a maturidade, os deixamos num mundo de sonhos, afinal vão sofrer tendo que prover um lar. Como assim?

As meninas são preparadas para lidarem de igual para igual com homens. E os homens devem adiar seu sofrimento. Mas se agora as mulheres são indicadas a terem suas vidas, por quê essa proteção com os homens?

Talvez esteja no inconsciente das mulheres, que os homens vão sofrer para cuidar de tudo. Talvez, não sei.

Porém, considero que os homens continuam os mesmos, só um pouco mais protegidos por suas mães. Já as mulheres, sim, elas mudaram, e mudaram muito.

A participação das mulheres no mercado de trabalho influenciou a educação de seus filhos, é fato. Exigindo da mulher força, sem perder a dona de casa que existe nela, nem o romantismo. E nos equivocando quando esperamos uma “virilidade” dos homens que já nem é mais ensinada.

Que tal equilibrar as coisas?