Anoitecer

por Dulcineia Vitor

Passei um bom tempo contemplando o pôr do sol, me aquietei sentada na grama observando cada raio laranja arranhando o céu, atentei a cada centímetro que o sol escondia de si, tentei contar as nuvens branquinhas que sobraram. Apontei a câmera, desfoquei a imagem, vi o sol maior do que meus olhos podiam ver, cliquei.

Tentei pensar numa música que pudesse compôr o momento, o silêncio tomou conta, brisa geladinha foi se aproximando, fechei os olhos, deixei tocar os cabelos, escureceu. Procurei pela lua, encontrei junto com muitas estrelas.

Quanto tempo dura o pôr do sol? E dentro de nós?

Muitas vezes não será possível responder as perguntas, talvez a importância, o tempo, um dia responda. Nunca conseguiremos capturar tudo o que vemos e o que sentimos, será sempre a essência disso.

Anoitece hoje com toda beleza e imensidão, amanhece amanhã com toda ingenuidade e esperança. O amor se renova, a paz se estabelece, a força aumenta e logo brilha os olhos.

18318835_122206595003753_1725608914_o

 

Crônica Apaixonada

por Dulcineia Vitor

Peça ao apaixonado calma, peça que pare de contar os minutos para estar com o ser amado, peça para raciocinar. O que é raciocinar?

Peça ao apaixonado que não se exponha, não ria à toa e nem traga para todos os assuntos o quanto o ser amado é inteligente, bonito, interessante; talvez o ser mais inteligente, mais bonito e mais interessante de todo o mundo. Peça ao apaixonado que não associe as músicas mais lindas a quem ama.

Peça ao apaixonado que não pense que será para sempre, que é o amor da vida. Peça ao apaixonado que entenda as funções químicas pelas quais seu corpo passa e o deixa assim, tão… tão… tão apaixonado. Peça ao apaixonado que não leia livros com finais felizes, nem veja filmes assim. Peça a ele que não pense o tempo todo no que sente e no quanto quer entregar desse sentimento ao ser amado.

Peça ao apaixonado que tenha juízo, que não se engane. Peça que não se entregue totalmente, não exagere nas declarações, nos cuidados e nas vontades.

Peça ao apaixonado que se distancie do ser amado para não se perder, que se coloque em primeiro lugar e que seja egoísta. Peça ao apaixonado para não acreditar em amores impossíveis, não olhar só o lado bom da vida e o colorido das flores. Peça ao apaixonado que seja realista.

Peça ao apaixonado que não aconselhe os amigos, peça que não deseje a todos o mesmo estado de encantamento e nem saia cantarolando por aí.

Impossível.

O apaixonado é o brilho dos olhos, é o sorriso que escapa sem motivo, é o ápice da melhor música.

O apaixonado é vida, é velocidade, é intensidade. É um pouco de paz e de muita esperança. O apaixonado é o rosto mais bonito, é o corpo mais leve, é a dança mais harmônica.

O apaixonado são as melhores ideias, os perfumes mais delicados e marcantes, os toques mais suaves. O apaixonado é a pressa de estar, e quando está, é a calma de ficar. O apaixonado é a força, é a confiança, é a gentileza. O apaixonado é o cuidado e o descuido.

O apaixonado é o erro mais engraçado e o acerto menos ponderado.

Apaixone-se.

cronica_apaixonado_Dulcineia_Vitor_Chiliqueria

Estrada

por Dulcineia Vitor

A parte mais gostosa da viagem é o retorno para a casa, a estrada fica mais colorida, a brisa mais fresca, os aromas mais acentuados. Cada quilômetro: sorrisos, brilho no olhar.

Viagem traz bens para a alma. O retorno traz paz.

Se encontrar no abraço amigo, morar lá, e se perder em olhares; o que é familiar cuida, protege, alimenta.

Asas levam pra longe, raízes fazem voltar,

Liberdade é saber escolher, é amar o que é, como é. Liberdade não tem a ver com não pertencer, tem a ver com não se perder. Tem a ver com ter o olhar com longo alcance, com ter as mãos fortes e os passos firmes.

Faça as malas.

Perceber quem você é, sentir sabores sozinho, fazer escolhas sem opinião alheia, dizer “nãos”, ter conversas olhos nos olhos, não temer. Desfiar-se em desejos. Olhar em volta e se parabenizar pelas conquistas.

Somos tão grandes livres, tão encantadores. Para quê a prisão? Prisão de sentimentos, de paradigmas, de enganações.

Sinta amor doado, amar nunca é demais, não machuca e não tem a ver com retenção. Cuide dos sentimentos alheios, tenha ética, receba carinho, dê ainda mais. Use palavras sinceras e seja coerente nas ações.

Ser livre é sentir orgulho de si mesmo.

Viaje. Volte. Sua casa é você.

estrada_chiliqueria_liberdade_amor

Horizonte

por Dulcineia Vitor

Hoje eu vou esperar o sol nascer pra sentir a esperança brilhando no coração. Vou ficar sentada na areia da praia observando o mar e tentando sentir o movimento das ondas na alma.

Quero ver crianças brincando com seus pais, rindo, perceber as semelhanças deles: os gestos, cabelos, olhares. Quero pedalar o mais distante que conseguir com os olhos fechados, sentindo a brisa… Respirar fundo e amar as escolhas que fiz e a pessoa que tenho me tornado.

Pegar um bom livro para ler.

Deixar tocar as músicas que me agradam e ligar para quem amo. Olhar fotos antigas e tão cheias de boas lembranças, sentir aromas, gostos e toda saudade bonita do amor já sentido.

Me aconchegar no colo amado. Pegar a estrada escrevendo poesias no pensamento e torcendo para o caminho nunca mais acabar. Desenhar o futuro com os dedos. Amar o sonho mais profundo e realizar os pequenos desejos.

Fazer quem amo sorrir. Sorrir com quem me ama.

Lembrar dos conselhos de papai e abraçá-lo com a alma. Lembrar das broncas de mamãe e amá-la ainda mais. Ouvir a voz que tanto amo. Rir. Cantar inglês errado.

Hoje eu vou lavar os cabelos e sair no vento pra sentir a cabeça gelar, vou experimentar um sabor novo pra valorizar o toque dos lábios. Usar o salto mais alto, só para poder tirar.

Andar na beirinha do mar.

Pensar nas aulas de economia da faculdade e sentir orgulho por ainda lembrar o que são juros compostos. Falar com o melhor amigo, relembrar uma vida inteira de gargalhadas. Falar com gente que faz bem, faz rir, com quem compartilha o que é importante. Abraçar o travesseiro e sentir o cheirinho de casa.

Comprar um girassol para iluminar a vida, apreciar o céu, ver animais nas nuvens.

Hoje eu quero o ritmo de um violão, de uma guitarra, de um baixo e de uma bateria. Quero saber tocar a vida, quero o novo, quero saber tocar você.

Hoje eu quero o que todos os dias eu quis.

Imagem

Primeira Pessoa do Singular

por Dulcineia Vitor

Como dente-de-leão que qualquer brisa mais forte faz voar, com o sopro todos os sentimentos se espalham.

Mistura. Descobre. Esconde. Silencia.

O silêncio e a paz. Uma vez, me disseram que paz nada tem a ver com felicidade, e que mesmo infeliz, quando se está em paz, se está em paz. A paz dada pelas alegrias, não é a verdadeira paz, é o conforto da alma com a satisfação.

A paz não é contrária a inquietação. A paz não é um sentimento. A paz é o lugar da alma.

Há algo na paz que ensina a pertencer. Há algo na paz que realmente ensina a amar.

O amor doado, amor cravado, amor de verdade, amor sem dor. E se o amor é dor, ele transcende quando machuca, porque é amor. Amor de olhar o brilho dos próprios olhos e saber que a felicidade merecida é infinita. Amor generoso.

Amor é grato, faz valorizar o que foi vivido, faz perdoar. Amor multiplica amor. Amor clareia a visão da vida, faz o que é pequeno perder a importância, aquece as mãos, enobrece o coração.

Há algo no amor que ensina a ser livre.

Liberdade dá paz, liberdade não é deixar de pertencer. É entender que o poder das decisões está nas próprias mãos e que cada consequência pode sim ser enfrentada.

Protagonistas da vida. Para cada decisão uma consequência e para cada indecisão também.

Mudança.

Com páginas escritas com tintas que borram com as lágrimas, com pedaços em branco, com desenhos, com planejamentos; com tudo, com nada – viver é assim.

E como dente-de-leão que cresceu para espalhar encanto e surpreender quando encontrado, a paz quando floresce faz espalhar os bons sentimentos para surpreender e encantar.

Assopre.

Imagem

Dias desleais

por Dulcineia Vitor

Quem disse que a vida é justa?

Nem sempre suas escolhas são certas e você aprende com os erros. Nem sempre a gratidão é devolvida aos seus atos de companheirismo. O amor pode não ser recíproco e a doença aparecer apesar de todos os cuidados.

O tempo mostra o que é real.

A tristeza daquele que não vive com a verdade, com o amor e com a sensibilidade é ter que conviver consigo, com a pessoa que se tornou. Porém, isso não significa que vá doer nele como doeu em você. Seu papel é olhar para vida com os olhos limpos, sem amarguras e se encorajar, porque os presentes mais lindos chegam. As pessoas mais especiais acalentam você e o fazem esquecer qualquer mazela.

Talvez não seja verdade que “todo mundo merece uma segunda chance”, existem pessoas que devemos deixar no caminho, antes que nos machuquem ainda mais, mas cada chance que damos à alguém que amamos é uma chance a nós de compartilhar aquilo de mais bonito que cultivamos, se for aproveitado muito bom, caso não, você amou. E amar ilumina nossa existência.

A vida é dura.

Bom na vida é o incomum destes olhos puros que amam você, que olham no fundo da alma e cuidam. Especial é o abraço longo que lhe aperta e assegura que nem tudo na vida é tão injusto assim… Inesquecível é aquela música que toca na hora certa para deixar claro que existem pensamentos como o seu, lhe conforta. Extraordinário é o toque nos cabelos, a brincadeira cúmplice, a verdade que se percebe rápido.

Não espere que alguém pague o mal que lhe fez… Deseje o bem. O envio de boas energias o faz proteger-se das más. Livre-se de todo o peso, guarde o que foi o bom. Ame mais. E siga.

Amor é forma de vida, e se a vida não é justa, você para de querer entender os porquês e simplesmente dá o que tem: amor. Dá para vida: para sua existência, para o seu caminho.

Os dias desleais virão, mas também irão.

Prepare-se com brilho nos olhos.

Image

Canção Íntima

por Dulcineia Vitor

“A vida é assim, Dulcineia.”

Eis a frase que mais me doeu ouvir, muito mais do que qualquer erro ou perda que eu tenha tido na vida. Mais que as vezes que caí de bicicleta, mais, muito mais do que quando não consegui levantar da cama, porque as dores do corpo e da alma me travavam.

Se a vida é assim, ela é dura e não perdoa. Se a vida é assim, você tem que ter foco no que quer e lutar sem se perder, o mínimo deslize é grave… Se a vida é assim, os momentos bons são para serem aproveitados e podem ser raros. Se a vida é assim, o amor deve ser suficiente as mazelas da vida… E a saudade pode corroer, já os sonhos podem ser o melhor lugar pra viver. Se a vida é assim, você pode conhecer a felicidade e de repente a perder.

Sim, a vida é assim.

Já errei, errei demais. Aprendi pouco, mas aprendi. Tentei consertar o que não consigo, tentei caminhar mais rápido sem forças… Progredi e regredi. Afinal, a vida é assim.

A vida é feita de escolhas, não é? E as consequências vem a cada decisão tomada.

Então, se vê a importância de aproveitar a brisa desta manhã tão bonita, os pingos de chuva tão refrescantes no fim de tarde… O sorriso mais bonito já visto, os sabores, os aromas. Se vê importância em comemorar as vitórias e esquecer os erros.

Esquecer as dores do passado, se alimentar de boas energias, viver o presente, fazer o possível para não errar com as pessoas que ama, não errar com ninguém, doar amor, ser gentil, dançar as melhores músicas – as suas, se reconstruir, perdoar, dar chance a si, fechar os olhos num abraço, se entregar.

“A vida é assim, Dulcineia” e ainda pode ser boa.

Ame.

Image