Dias desleais

por Dulcineia Vitor

Quem disse que a vida é justa?

Nem sempre suas escolhas são certas e você aprende com os erros. Nem sempre a gratidão é devolvida aos seus atos de companheirismo. O amor pode não ser recíproco e a doença aparecer apesar de todos os cuidados.

O tempo mostra o que é real.

A tristeza daquele que não vive com a verdade, com o amor e com a sensibilidade é ter que conviver consigo, com a pessoa que se tornou. Porém, isso não significa que vá doer nele como doeu em você. Seu papel é olhar para vida com os olhos limpos, sem amarguras e se encorajar, porque os presentes mais lindos chegam. As pessoas mais especiais acalentam você e o fazem esquecer qualquer mazela.

Talvez não seja verdade que “todo mundo merece uma segunda chance”, existem pessoas que devemos deixar no caminho, antes que nos machuquem ainda mais, mas cada chance que damos à alguém que amamos é uma chance a nós de compartilhar aquilo de mais bonito que cultivamos, se for aproveitado muito bom, caso não, você amou. E amar ilumina nossa existência.

A vida é dura.

Bom na vida é o incomum destes olhos puros que amam você, que olham no fundo da alma e cuidam. Especial é o abraço longo que lhe aperta e assegura que nem tudo na vida é tão injusto assim… Inesquecível é aquela música que toca na hora certa para deixar claro que existem pensamentos como o seu, lhe conforta. Extraordinário é o toque nos cabelos, a brincadeira cúmplice, a verdade que se percebe rápido.

Não espere que alguém pague o mal que lhe fez… Deseje o bem. O envio de boas energias o faz proteger-se das más. Livre-se de todo o peso, guarde o que foi o bom. Ame mais. E siga.

Amor é forma de vida, e se a vida não é justa, você para de querer entender os porquês e simplesmente dá o que tem: amor. Dá para vida: para sua existência, para o seu caminho.

Os dias desleais virão, mas também irão.

Prepare-se com brilho nos olhos.

Image

Anúncios